A melhor técnica para o seu jiu-jitsu

Alguns anos atrás estava de carro no centro de São Paulo, já era por volta das 15:00 e estava ficando sem bateria. Ainda tinha que percorrer uns 10km até o meu destino e não parecia que minha bateria ia durar muito, então memorizei algumas ruas do trajeto e em pouco mais de 15 minutos de trânsito, meu celular morreu, bateria zerada, sem GPS e NO CENTRO DE SÃO PAULO, praticamente uma heresia.

Como tinha decorado parte do caminho segui por mais alguns minutos de trânsito e, quando sai para a rua que o GPS tinha me mostrado anteriormente, estava completamente às cegas.

Como todos nós fazemos quando estamos perdidos, vi um cara andando na rua e perguntei: "Oi, querido. Você sabe como chega nesse endereço?" E mostrei o endereço. Ele leu e sem tomar nem um segundo para pensar ele me deu cinco ou seis instruções para seguir. Não perguntei se ele sabia, se ele morava por ali, fui direto para a minha pergunta e ele respondeu sem gerar dúvida.

O cara me passou total confiança de que ele sabia onde era o meu destino e passou informações detalhadas, as quais segui com precisão, porém para minha surpresa ao virar na última rua descobri que algo estava errado.

Eu estava querendo ir à uma loja de kimonos e estava em um bairro industrial, não havia qualquer indício de loja, restaurante, pessoas ou vida no bairro. Só dava para ver galpões e mais nada. Resumindo: voltei às cegas, parei em um restaurante qualquer, pedi algo para ficar lá enquanto meu celular carregava e eu voltava ao meu percurso.

Na era da informação em que vivemos estamos perdidos como essa breve história que contei. Todas as respostas estão a alguns cliques de distância e quando não sabemos de um assunto estamos exatamente como quando estamos na rua pedindo informação para um estranho. Assumimos que se ele está por ali de algo ele deve saber, então acostumamo-nos a buscar informação no lado de fora.

Então, dessa vez quero falar sobre a melhor técnica para o seu jiu-jitsu: A auto-avaliação. Quem melhor do que nós mesmos para nos avaliarmos?

Avaliações são aplicadas em todas as áreas de estudo, principalmente no estudo formal (escola e faculdade), e desde cedo aprendemos ter aversão a ser avaliado. Muitas vezes tal aversão é baseada em nada, apenas sabemos que não gostamos e não existe um por que definido.

Essa postura é comum quando não entendemos o real motivo das avaliações. O aplicador do teste, o professor, parece estar lá para "te ferrar" e não para te ajudar de verdade, normalmente você só tem uma ou duas chances para melhorar naquele assunto senão você é reprovado e deve começar a matéria do começo, mesmo que já saiba metade do conteúdo, uma estratégia que te faz perder muito tempo e ninguém tem tempo sobrando para desperdiçar, mas não é assim que acontece no jiu-jitsu.

No jiu-jitsu você nunca é reprovado, o máximo que acontece ao identificar uma falha nos seus conhecimentos técnicos é ter que completar as lacunas e seguir em frente. A beleza do jiu-jitsu é ser tão complexo que é praticamente impossível alguém saber de tudo. Sempre existem novas formas de melhorar e essa mentalidade não pode ser perdida ao longo dos anos de treino. O jiu-jitsu não acaba na faixa-preta, nem quando você para de treinar, ele só acaba quando você morre.

Por isso é sempre importante estar consciente das suas limitações físicas e técnicas. Elas vão mudando conforme o tempo passa. Pessoas mais velhas não tem o mesmo vigor físico e mobilidade do que os mais novos, porém os mais novos muitas vezes não desenvolveram totalmente sua musculatura e são mais fracos que os mais velhos. Basta conhecer o seu corpo e treinar de acordo.

Então, por onde começamos a nos avaliar?

Primeiro precisamos saber em que fase da vida você está e em que momento seu corpo se encontra. O corpo de ninguém é linear, ele oscila sempre, mesmo treinando, então temos que olhar para o momento atual. Você está mais pesado ou mais leve do que o normal? Como está a sua mobilidade? Anda fazendo treinos de preparação física? Seu condicionamento está em dia?

Conhecer o seu corpo é o primeiro passo para conhecer o seu jiu-jitsu. O mais importante que a avaliação física vai te trazer é a consciência dos seus limites.

O segundo passo é entender qual a fase que você está dentro do jiu-jitsu. Está parado faz tempo? Quer voltar a treinar? Voltando agora? Acabou de começar? Está competindo? Quer competir?

Esse passo é importantíssimo para entender de onde partiremos. A avaliação técnica de quem vai competir ou está competindo tende a ser mais rigorosa do que a avaliação técnica de um praticante que está apenas começando ou que está voltando a treinar agora.

O passo final é definir seus objetivos. Você está buscando a próxima faixa ou você quer ganhar uma competição específica? Quer ficar bom de jiu-jitsu ou ganhar de um certo parceiro de treino na academia? Quer aumentar o condicionamento e melhorar a qualidade de vida ou está buscando um treino de competição?

Depois de entender onde você está na sua vida e no seu jiu-jitsu, onde estão seu corpo e suas técnicas, temos que saber para onde você quer ir. Qualquer lugar serve para quem não sabe para onde está indo.

Lembrando que seus objetivos devem ter cinco características. Ele tem que ser mensurável, específico, tangível, alcançavel e deve ter um significado pessoal. Ou seja, seu objetivo tem que ter forma, cor e cheiro. Ele tem que ser preto no branco, deve ser o mais claro possível, não pode se perder no tempo (deve ter uma data para ser alcançada) e o mais importante ele deve significar algo para você, mesmo que pareça besta para os outros, o que importa é como você se sentirá ao alcançá-lo.

Esses três passos de auto-avaliação você pode começar agora, meditando alguns minutos por dia sobre o assunto, sempre se questionando onde está e aonde quer chegar, quais são seus pontos fortes e fracos.

Auto-avaliar-se é umas das melhores ferramentas para evoluir no jiu-jitsu e em qualquer área da vida. Não podemos deixar o fluxo da vida nos levar. Nossa cabeça tem que estar no lugar sempre. Todo dia precisamos reforçar para nós mesmos, conscientemente, qual é nossa meta, até que isso vire insconsciente, então definimos uma nova meta. O movimento é que faz com que andemos para frente!

Não deixem de usar essa dica!

Bons treinos.

Oss!



7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo